O prédio foi fundado em 26 de outubro de 1906 pela Companhia da Estrada de Ferro São Paulo–Rio Grande para ser a sede da Associação Beneficente 26 de Outubro (“Hospital 26 de Outubro”) com o objetivo de beneficiar as famílias de seus funcionários. Na época a associação prestava serviços de assistência médica, financeira e funerária.
Atualmente, no prédio há uma capela no seu interior e no local, funciona o Serviço de Obras Sociais, a Fundação Promover e a Associação dos Deficientes Físicos de Ponta Grossa. O prédio foi tombado pelo COMPAC, em 2002 e pela Coordenadoria Estadual do Patrimônio Cultural em 2005.

Imóvel da Rua Joaquim Nabuco nº 59 (Antigo Hospital 26 de Outubro)
Com o objetivo de mútuo auxílio, especificamente na parte de assistência hospitalar e fornecimento de gêneros de primeira necessidade, cerca de cem ferroviários pertencentes à Companhia Estrada de Ferro São Paulo- Rio Grande fundaram em 26 de outubro de 1906 a “Associação de Socorros do Pessoal de Estrada de Ferro São Paulo- Rio Grande” (sendo oficialmente fundada no dia 28 do mesmo mês e ano), denominação modificada mais tarde para “Associação Beneficente 26 de oubtubro”.
A presidência da instituição foi concedida a Eduardo Azevedo, considerando o verdadeiro fundador da sociedade de classe. Nos quatros anos seguintes a Associação se consolidou firmando-se como uma entidade efetivamente útil aos seus associados. Também consolidou firmando-se como uma entidade efetivamente útil aos seus associados. Também ocuparam a presidência da agremiação classista nos anos posteriores até 1937: Inácio de Lara, José D. Garcia, Roberto Helling, Egydio Pilotto, Dr. Raul Zenha de Mesquita, Albary Guimarães, Eugenio Ricetti, José de Paula Pereira, Dr. Hugo Giebsbrecht, Reynold Weigert e José Silveira.
A princípio a associação instalou-se em prédio alugado, porém no decorrer dos anos construiu um vultuoso patrimônio, incluindo armazéns com capacidade para 300 toneladas, onde também se encontravam os serviços de contabilidade e controle fichário social. A área de ação passou a abranger quatro Estados brasileiros desde Ourinhos, em São Paulo até Marcelino Ramos, no Rio Grande do Sul. Em certos períodos a condição sócio financeira da entidade não era das melhores, vários fatores conduziram a Associação à hipoteca dos seus bens. Lutando com as dificuldades financeiras, os ferroviários designados pelos associados, colocaram em prática um reerguimento econômico adotando medidas drásticas no terreno das despesas e envidando esforços em favor do aumento das operações mercantis. Aos poucos, a situação foi melhorando e já em 1938 a Associação do número de associados residentes nesse bairro. A parte industrial recebeu melhorias devido a grande produção de café, fubá, sabão, etc.
Em 13 de agosto de 1944, a Associação Beneficente 26 de Outubro teve que se enquadrar nos dispositivos de Decretos-lei transformando a entidade em Cooperativa Mista 26 de Outubro Ltda., registrada no serviço de Economia Rural do Ministério da Agricultura com 4.017 associados, chegando em 1955 com cerca de oito mil associados.
A Associação 26 de Outubro possuiu uma das mais bem montadas Casa de Saúde da América do Sul, inaugurada em 25 de janeiro de 1931 sob a gestão do prefeito Albary Guimarães, a construção foi chefiada pelo engenheiro Angelo Lopes. Sua organização era considerada uma das mais eficientes do país, constituindo em assistência médica, farmacêutica, hospitalar em Ponta Grossa, Curitiba, Porto União, Irati, Jaguariaíva e Itararé- auxílio para o funeral. Facultava, também, a venda ao associado pelos menores preços de gêneros de consumo por meio de armazéns.
Em 1940, por necessidade dos serviços, foi construída uma casa residencial anexa ao hospital central, bem como um pavilhão de alvenaria para isolar os doentes de determinadas moléstias.
Em 1944 foi adquirida uma ambulância para o Hospital, que também constava dos serviços de análises clínicas, micrologia, sala de parto, cirurgia, raios-X, enfermarias, banco de sangue, pediatria, ginecologia entre outras especialidades.
O Hospital 26 de Outubro teve como médicos os Drs. Paula Xavier, Francisco Burzio, Joaquim Loyola e outros. Foi visitado por inúmeras autoridades civis e militares como os Srs. Dr. Marques dos Reis (ministro da Viação), Manuel Ribas (Governador do Estado), Alexandre Guttierrez (superintendente da Rede Viação Paraná- Santa Catarina).
Em sua passagem pela cidade o ministro da Viação deixou expressa suas impressões no Livro de Visitas:
“Ao visitar a Casa da Saúde da associação Beneficente 26 de Outubro, de Ponta Grossa, quero exprimir a excelente impressão que me deixa a esplendida obra de assistência e solidariedade humana, que ele representa, fazendo beneméritos os seus fundadores e mantenedores”.
A superintendência dos serviços gerais do hospital estava cedida as Irmãs de São José de Chambery. As primeiras Freitas que ali chegaram foram Madre Calixto Duc, Irmãs Blandina Orsi e Matilde Durgiam. No mesmo ano da inauguração do hospital, devido a problemas internos, as Irmãs se retiraram, porém retornaram no dia 17 de abril de 1932.
Juntamente com o hospital foi construída uma capela, na qual os freis da Congregação da Imaculada Conceição celebram missas até hoje. Sua conservação é de responsabilidade das irmãs de São José.
A Capela do Hospital, bem como a Vila Hilda e algumas residências, foram pintadas por Paulo Wagner. Nasceu em 18 de dezembro de 1890 na Alemanha, onde cursou a escola de pintura. Veio para o Brasil aos dezoito anos, estabelecendo-se em Ponta Grossa alguns anos depois, onde viveu por mais de cinquentas anos.
“Paulo Wagner foi esse pintor admirável que a cidade perdeu há precisamente um mês, pois que faleceu dia 12 de julho passando deixando seu nome imperecível nas dezenas de quadros maravilhosos que pintou com mão de mestre e sensibilidade de artista, enriquecendo o patrimônio artístico de Ponta Grossa”.
Na Capela do 26 de Outubro, Paulo Wagner pintou sobre o altar um céu com diversos anjos, além dessa obra se encontram no local quatorze quadros de gesso retratando a Via Sacra e nove imagens de santos, sendo três no altar. Para comemorar o cinquentenário da Cooperativa foram colocados vitrais com representações de santos, assinalados com as datas de fundação e de aniversário, isto é, 26/10/1906 e 26/10/1956.
O Hospital 26 de Outubro teve suas atividades finalizadas na gestão do Prefeito Municipal Pedro Wosgrau Filho.
O prédio abriga, desde 1991, o Centro de Assistência Social à Criança e Adolescente, fundado em 13 de junho de 1973, com o objetivo de criar e executar atividades visando promover a assistência social à população do município.
No Centro de Ação Social, o S.O.S, desenvolve também cursos profissionalizantes para atender a comunidade em geral, visando melhorar o atendimento familiar e criando oportunidades de trabalho através da Escola de cabeleireiro, malharia, acolchoaria, cursos de costura, pintura em tecidos e bordado a maquina. São atendidas nesse programa 150 pessoas a cada três meses.

Pesquisadora: Daniele Pereira da Silva.
Supervisora: Elizabeth Johansen Capri.