Rua General Carneiro, esquina com a Rua Marechal Deodoro, n° 340
Processo: 09/2001

O imóvel foi construído por volta do ano de 1933. Adquirido por Claudionor Tupi Villela Bittencourt em 1942, quando passou a residir no mesmo com sua esposa Luiza Baldino Lapido Bittencourt e os filhos Deomar, Maria de Lourdes, Yara, Aray, Ernestina e Claudionara.

Claudionor Tupi Villela Bittencourt era filho do Major Manoel Vicente Bittencourt. Com a morte do pai, herdou terras na Fazenda Boa vista, no município de Ponta Grossa. Quando faleceu, deixou para a esposa Luiza a casa onde residiram, e que posteriormente passou a ser herança de seus filhos, netos e bisnetos, possuindo aproximadamente 36 herdeiros. Luiza também ficou com um terreno no bairro de Uvaranas, próximo ao Quartel 13° BIB, que foi loteado e recebeu o nome de Vila Claudionora, em homenagem a seu esposo Claudionor Bittencourt.

Quanto as origens da família, as informações é de que, durante as Guerras Napoleônicas, os Bittencourt deixaram a França sua terra natal, e foram residir em Portugal, Com a transferência da família real portuguesa para o Brasil, vieram também algumas famílias, entre estas, três irmãos Bittencourt.

A viagem foi difícil, faltavam acomodações, e uma forte tempestade atingiu a esquadra que separou os navios, destes, alguns aportaram na Bahia e outros no Rio de Janeiro, no final de 1808. Chegando ao Brasil, os irmãos Bittencourt seguiram rumos diferentes, sendo que dois vieram para o litoral do Paraná e um deles permaneceu no Rio de Janeiro.

Manoel Vicente Bittencourt nasceu na cidade de Morretes, em 1838. Vindo da marinha para Ponta Grossa, aqui foi comerciante, fazendeiro e político, sendo deputado e prefeito. Governou Ponta Grossa de 1892 a 1894, ano em que foi forçado a renunciar seu cargo, por ter ajudado a forças revolucionárias de Gumercindo Saraiva, chefe da Revolução Federalista.

Entre as obras mais importantes de seu governo, destacam-se:

  • O arrasamento do antigo Cemitério São João, situado onde é a Praça Barão de Guaraúna.
  • Nivelamento do terreno e aproveitamento de terras para fechar a barroca do pátio do Chafariz, posteriormente Largo do Rosário e atualmente Praça Barão do Rio Branco.
  • Melhoramento na “Rua do Comércio”, atual Avenidaa Vicente Machado e na Rua Santana.

Entre outras …

Fontes:

Certidão Jus in ré n° 13.240 – 1° Registro de imóveis

Entrevista realizada com as Sras. Ernestina e Claudionora Bittencourt em junho de 2001 concedida a Isolde Maria Waldmann.

Pesquisadora: Isolde Maria Waldmann.