Imóvel da Rua Sant’Ana, nº 129 (Prédio da Proex)

Inicialmente o prédio abrigou a loja de ferragens de Guilherme Naumann, tido como o segundo germânico a chegar em Ponta Grossa (1890). Exercia a profissão de sapateiro e alguns anos após a sua chegada mandou construir o prédio de dois pavimentos, tendo sido concluído em 1906. Ali abrigou a sua residência no andar superior e a loja no andar inferior. Comercializava desde ferragens a máquinas de costura Singer e Original Vitória, importadas da América do Norte e da Alemanha. O seu edifício passou a chamar-se Guilherme Naumann.
No mesmo prédio também esteve instalada a redação, administração e tipografia do Jornal O Progresso, fundado em 27 de abril de 1907 por Jacob Holzmann. Em 1913 o periódico foi vendido passando a ser da propriedade da Companhia Tipográfica Pontagrossense, que mudou o nome para Diário dos Campos. Enquanto se chamava O Progresso, o jornal permaneceu no imóvel até 27 de novembro de 1909 quando mudou de sede, porém retornou ao Edifício Naumann em março de 1911 ficando até o final do ano de 1912.
No imóvel instalou-se, na década de 1920, o serviço de telégrafos, que após a incorporação passou a sediar a Companhia de Correios e Telégrafos, permanecendo no imóvel por mais dez anos. A loja de ferragens foi mantida até 1933 quando o prédio foi vendido a Proxedes Gonçalves Pereira que, por residir em Curitiba, continuou a alugá-lo a terceiros.
O prédio foi vendido por Proxedes Gonçalves Pereira ao Governador do Estado do Paraná. Em 19 de dezembro de 1936 foi fundada a Escola de Farmácia e Odontologia, tendo sido o prédio cedido pelo Interventor Manoel Ribas pra ser adaptado aos fins a que se destinaria.
“E hoje em seu terceiro ano de vida, a Escola de Pharmacia não só confirmou nosso optimismo e previsão, como de monta, encontrando-se hoje em uma faculdade superior de qualquer capitães brasileiras.”
Mais tarde o Governo do Estado instalou os escritórios do Departamento de Estradas de Rodagem (DER). Essa autarquia permaneceu ali por mais de dez anos, quando foi transferida para outra sede. Com isso o Estado cedeu a permissão para a instalação de Sede dos Escoteiros de Ponta grossa e da Creche Pureza Ribas. De acordo com o álbum da cidade de 1963, o prédio também foi ocupado pelo Centro de Saúde e 3º Distrito Sanitário.
Encontrando-se o imóvel em estado de deterioração avançando, que chegava a colocar em risco a segurança das crianças assistidas por aquelas instituições, foi o prédio abandonado, tenho sido pleiteado pela Universidade Estadual de Ponta Grossa em 1983.
Após a doação, o edifício sofreu uma reforma para abrigar a PROEX- Pró Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (hoje, Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Culturais). Desde 1997 o imóvel se encontra em processo de restauração.

Pesquisadora: Daniele Pereira da Silva.
Supervisora: Elizabeth Johansen Capri.