Na década de 1920, durante o Governo de Caetano Munhoz da Rocha, e sendo Cézar Prietro Martinez o Inspetor Geral de Ensino, houve uma reforma educacional no Paraná, com a valorização da Escola Normal para a formação de professores. Em 1921 foi oficializado o projeto de criação de duas Escolas Normais do Estado: uma em Ponta Grossa e outra na cidade de Paranaguá. Em 1922, o Sr. Manoel Suarez e sua esposa Clara Suarez, proprietários do terreno e imóvel situados á Praça Barão do Rio Branco, enviaram carta do Jornal Diário dos Campos de 07 de abril de 1922 a fim de propor a venda dos mesmos para que no local fosse construída a Escola Normal Primária de Ponta Grossa, que iniciou as aulas dia 27 de fevereiro de 1924, em prédio situado a Rua do Rosário n° 194, em frente a referida praça.

No ano de 1927, a Prefeitura Municipal adquiriu o prédio da Rua Dr. Colares, esquina com a Rua Augusto Ribas para que neste fosse instalado o Ginásio Regente Feijó, porém o imóvel necessita de reformas para que fossem iniciadas as aulas. Durante alguns meses, as aulas do Ginásio foram ministradas na sede da Escola Normal, terminadas as obras, o mesmo voltou para a Rua Dr. Colares. Através do Decreto n° 6.150 de 10 de janeiro de 1938, houve a fusão do Ginásio Regente Feijó com as Escola Normal. Entretanto, as duas instituições de ensino permaneceram em imóveis separados ( a Escola Normal á Praça Barão do Rio Branco e o Ginásio Regente Feijó á Rua Dr. Colares). Somente no ano seguinte (1939), realizou-se a troca de prédios, para a Rua do Rosário, n° 194.

Este imóvel foi tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico do Paraná, em 1990 e posteriormente restaurado. Em março de 2002 houve cerimônia de reinauguração do Colégio Estadual Regente Feijó, que constituiu tradicional e importante estabelecimento de ensino para a cidade de Ponta Grossa, bem como para o Estado do Paraná.