Com a chegada de imigrantes em grande quantidade, nos anos 1870 Ponta Grossa passa por um período de pleno desenvolvimento. Russos, poloneses, alemães, italianos e holandeses se estabelecem pelas áreas urbana e rural e trazendo consigo a cultura de seu país de origem passam a somá-la aos costumes, o modo de vida e as condições deste território. O Império tinha como objetivo que os imigrantes se dedicassem a atividades agrícolas, pois o as técnicas europeias representavam ser mais desenvolvidas, que por sua vez supriria a carência de alimentos na região.

Pouco tempo após a grande imigração, muitos deles decidiram abandonar o campo, optando pelas atividades econômicas comerciais e de prestação de serviços. Segundo as historiadoras Gonçalves e Pinto (1983), foram listadas trinta e quatro profissões ocupadas pelos povos imigrantes nesse período.

No ano de 1903, observando a facilidade de produção da matéria prima, o italiano Francisco Gioppo decidiu pedir à Prefeitura Municipal de Ponta Grossa um alvará para abertura da primeira fábrica de cerveja da região. Claro: com características artesanais, sendo caracterizada como fábrica pela produção em larga escala. Um outro relato aponta que essa teria sido a primeira fábrica formalizada, e que Frederico Lorgues teria sido o primeiro cervejeiro, em 1882, mas não há dados consistentes para isso.

A experiência dos imigrantes aliadas às possibilidades que a terra de Ponta Grossa oferecia em pouco tempo tornou-se referência, despertando o interesse em investidores. Foi assim que a Família Thielen chegou na cidade e iniciou a produção.

Fábrica Adriática – Centro de Ponta Grossa (cerca de 1920)

No ano de 1906, Henrique Thielen fundava a Fábrica Adriática de Cervejas, sendo uma filial da Cervejaria Grossel. Segundo informações de registro na Prefeitura Municipal, foi só em 1927 era expedida a documentação que autorizava o funcionamento. Isso significa que após 1927 a fábrica saiu da informalidade. Segundo a historiadora Eliza Johansen, fazer cerveja, ou melhor, o saber-fazer cerveja é um patrimônio cultural ponta-grossense.

A tradição local na produção da bebida permanece, sendo transferida de pai para filho, e existe desde a fabricação artesanal até através da multinacionais instaladas por aqui.

No mês de novembro acontece todos os anos a Festa Nacional do Chopp Escuro, a MûnchenFest.

Alberto Thielen, herdeiro da cervejaria Adriática foi o construtor da Mansão Villa Hilda.

Atualmente existem 8 microcervejarias, além de duas grandes indústrias instaladas em nosso território. Recentemente, a Secretaria Municipal de Turismo criou a Rota da Cerveja. Clique aqui para saber mais.